18 de abril de 2008

Tempo sem tempo



"vê se encontra um tempo
pra me encontrar sem contratempo
por algum tempo
o tempo dá voltas e curvas
o tempo tem revoltas absurdas
ele é e não é ao mesmo tempo
avenida das flores
e a ferida das dores
e só então
de sopetão
entro e me adentro no tempo e no vento
e abarco e embarco no barco de ísis e osíris
sou como a flecha do arco do arco do arco-íris
que despedaça as flores mais coloridas
em mil fragmentos
que passa e de graça distribui amores de cristais
totais sexuais celestiais
das feridas das queridas despedidas
de quem sentiu todos os momentos"

(Parceria de Zé Miguel Wisnik e Jorge Mautner e foto de Monica Ramalho)

3 comentários:

paul constantinides disse...

ah no momento
sem tempo
pra comentar...risos

abs
paul

monica disse...

essa música também é das boas, paul. conhece a obra do zé miguel wisnik? sou fã ;)

Anônimo disse...

Nessa noite...
Zanzando, por aqui, acolá..
no google...
Procurando a letra dessa música,
Encontrei vc!
Adorei, a foto do varal!
E nesse contratempo
o bom desse tempo,
são esses encontros inusitados...
Beijos,
Déinha