24 de julho de 2008

Claudia Holanda estréia aqui como colunista!

A partir desta quinta e por outras tantas, com as graças de Baco, a amiga Claudia Holanda vai escrever para nós sobre vinhos. A idéia surgiu numa degustação - eu e Val fomos a convite dela e da Lilian - na qual me apaixonei perdidamente pelo francês 'Chateuneuf du Pape', dica da moça, claro. A colunista é pernambucana, jornalista, cantora e compositora, aluna da Escola Portátil de Música, sócia da Confraria do Encuentro, tão amiga do peito que já me salvou de um afogamento no Arpoador (risos). Delicie-se com a primeiríssima
'No gargalo':


Toda festa que se preze começa com um espumante de boas vindas. E na estréia da coluna 'No gargalo' no blog desta amiga de tantas taças e canecas, é isso que a gente pretende. Sinta-se à vontade no puxadinho da casa! Como o papo é borbulhante, vamos ao que interessa. Uma questão de esclarecimento: Espumante é todo vinho que tem bolhinhas, mas pra ser chamado de champagne ele precisa ter sido feito na região de Champagne, na França. Champagne é marca registrada desta região específica. Dependendo do lugar onde foi produzido, é chamado por nomes diferentes. Na Espanha, de Cava; na França, fora da região de Champagne, de Crémant; e na Itália, de Spumanti, parecido como chamamos no Brasil. Então, você não precisa dizer "bebi champagne francês". Porque se for champagne, é claro que foi feito na França. Vamos evitar o pleonasmo, minha gente!

A "descoberta" desta maravilha é conferida ao monge Dom Perignon, que, na verdade, tomou foi um susto ao perceber que seu vinho borbulhava. Aquela frase divulgada aos quatro cantos no mundo "estou bebendo estrelas", atribuída a ele, é mais do que contestada. Afinal, pro camarada que tava acostumado a elaborar vinhos "tranqüilos", aquela garrafa efervescente era, no mínimo, um sério defeito. Ele passou boa parte de sua vida tentando eliminar as tais bolhinhas. Não conseguiu, graças a Deus! O fato é que depois de algum tempo, a bebida caiu no gosto da alegre corte francesa por ser leve e divertido. Não demorou para conquistar paladares de todo mundo e ficar para sempre associada a datas festivas e comemorações.

Bem, se você não está monetariamente preparado para comprar champagne, não precisa desanimar. Os brasileiros produzem belos espumantes, muitos premiados, e bem mais em conta do que o importado francês. Quer cinco dicas na faixa dos 20 pilas? Fácil: Valmarino, Don Giovani, Miolo, Aurora, Salton... Recomendo os secos, chamados brut. Um brinde a todos nós! Será uma alegria borbulhante escrever semanalmente sobre vinhos aqui para você.

* Fotos sorvidas do Google *

25 comentários:

feroli disse...

Bela estréia, Claudia!

Mas vale lembrar que há bons espumantes doces. Alguns feitos com uvas Moscatel são bons para quem gosta de bebidas menos secas.
Parabéns e sucesso para você e Monica.

Claudia Holanda disse...

Grande Fero! Isso aí tem espumante doce que serve até como vinho de sobremesa.

Moniquinha, esse negócio de escrever em blog é uma onda. Ainda to tomando o jeito na poltrona. Que sensação ver as coisas qe a gente escreve aqui.
obrigada pelo convite, amiga

monica disse...

beijão, feroli!

claudinha, maneiríssimo é ter uma colaboradora pra tocar comigo o blog na cadência do álcool rs rs rs. a gente comenta aqui e bebe depois só pra dar mais veracidade à coluna :))

Val Becker disse...

UAU!
Que texto gostoso, Claudinha!!!
Leve e divertido como os espumantes :))

Se é amiga? Ô!
Lembra que ela e Lilian também me salvaram de um afogamento? Mas o meu foi no Posto 6... rs rs.

Querida, obrigada e até a próxima rodada - virtual ou não.

Beijoooo.
:))

Claudia Holanda disse...

ahahahahah
claro, moniquinha, a gente tem manter o nível, nem que seja o alcoolico.

Valzinha, se me lembro desse afogamento? Nesse muita gente se afogou. hahahaha
beijossss

Val Becker disse...

Ahahahah...

É verdade!
Mas olha a qualidade da água...
Se afogar assim é luxo só!
:)

monica disse...

qualidade da água hahahahahahahahahahaha
vocês são muito bebuns, isso sim!
vamos rachar duas garrafas de chateuneuf nós quatro? ;) tá 80 pila no zona sul versus 160 dos outros estabelecimentos. beijooo!

lilian disse...

Oi Pessoal
Sem puxar o saco, mas já puxando é sempre muito bom ler o que vocês escrevem. E este começo, 'No gargalo', tá SHOW. Parabéns!!!!

Começou super bem, principalmente por valorizar o nosso espumante.
Tem festa por ai, que o pessoal serve espumante nacional, de ótima qualidade e fala que é prosecco, só para dizer que é “chique”, Chique é o c..........
Adorei vamos beber mais o nosso, quem sabe daqui a pouco não estaremos arrebentando no mundo do vinho
Parabéns Claudinha, parabéns Mônica adorei , podemos marcar mais e mais “degustações” por ai, principalmente do tipo que a gente foi.
Ops, já ia me esquecendo, se me permite meninas, temos também os espumantes da Casa Valduga, ótimos espumantes com bons preços.
E vamos aos brindes “TIM TIM”

Joana disse...

A Cláudia escreve bem, sobre um tema é que agora é moda. Todo mundo "entende" de vinho, todo mundo "escreve" sobre vinho. Ainda bem que a bebida se popularizou e as informações que a Cláudia passou em seu texto agora já são de conhecimento geral. É muito difícil encontrar alguém medianamente informado que desconheça que champagne só é chamado assim se for desta região francesa. Daqui a pouco passaremos a ler com muito "ineditismo" sobre a importância de se analisar a cor, o odor e o sabor do vinho, seu corpo, etc, etc, ou sobre as regiões e tipos de uvas. Mas valeu, é sempre bom encontrar pessoas se interessando sobre vinhos. Eu fumo charutos cubanos e italianos, serve?

monica disse...

lilian: valeu! vamos degustar juntas! o que vocês vão fazer amanhã? :))

joana: sempre é bom encontrar pessoas se interessando ponto. tem gente que nunca ouviu falar em chico buarque, acredita? essa me chegou aos ouvidos através de uma amiga, professora de espanhol. a turma inteira de adolescentes de classe média média, desconhecia o nome do compositor, que nos é tão familiar. tomara que as dicas da claudinha surpreendam você e lhe sirvam também numa adega qualquer dia desses. eu vou correndo comprar o meu espumante.

beijos, pessoal!

Claudia Holanda disse...

Olá Joana, obrigada por teu comentário.
Mas, olha, não sei se diferenciar espumante de champagne seja de "conhecimento geral", como vc afirmou.
No entanto, acho ótimo que a coluna conseguiu fazer com que vc até teça comentários ( a glória dos blogs!).
Que bom ter gente bem informada, como vc. Fique à vontade para nos dar sugestões e comentar, é claro.

Lilian Vieira disse...

Ei... adorei isso! O texto tá gostoso, didático e até dá vontade mesmo de correr pra comprar um espumante. Eu sou amante dos destilados, mas adorei! Será que depois que se esgotar (se é que se esgota) as curiosidades e dicas sobre o vinho, vcs poderiam falar sobre cachaça e uisque?...rs - assim quem sabe eu entro na roda das "afogadas". Quanto afogamento!...hahaha - se beber, não nade. Beijos Quac! e parabéns, Cláudia!

Claudia Holanda disse...

Lilian Vieira, claro, nesse espaço aqui a gente se afoga em destilados e fermentados.
ahahah
Chegue mais!

Cecília Borges disse...

Que delícia de texto!
A melhor parte será colocar à prova suas dicas, certo?
Um brinde às experimentações que virão!

Um bj!

Claudia Holanda disse...

oi lilian, obrigada pelos afagos. vamos marcar uma degustaçaõ com a galera pra provar um caldos daqueles...?

cecília, vamo experimentar. no mundo dos vinhos, como diz meu amigo Mike, somos todos amadores e aprendizes.
beijos

Murilo Ribeiro disse...

Claudia e Monica, que beleza de novidade!
Apesar de ter não beber - e sei que, para um jornalista, isso soa quase como um desvio de caráter - adorei o texto saboroso e as informações de primeiríssima categoria! Fiquei até afim de tomar uns golinhos...
Bjos pras duas! E virei ainda mais fã do blog, Dona Monica! ;)

Joana disse...

Claro Cláudia que eu comentei, como eu disse no meu comentário: "vc escreve bem!". O texto é realmente muito bom, o problema não é a forma... E como eu disse tb "qualquer pessoa medianamente informada", e o fato de ser classe média não torna ninguém medianamente informado. Ah, eu detesto a classe média, ela me dá cataporas. Infelizmente a alta burguesia já não existe mais. Os paulistas de 400 anos já não existem mais. Estamos na república da Classe Média, e esse modismo por "entender de vinho", vem da tentativa da classe média se "ilustrar", sair das Trevas em busca do Iluminismo, do Enciclopedismo. Cláudia, espero, de verdade, ansiosa por teu próximo texto. Que tal algo como vinhos e charutos? Tem alguma sugestão que acompanhe o meu Cohiba?

Joana disse...

Monica, o blog é excelente! sobre as dicas me servirem qdo for a adegas, bem, devo admitir, que apesar de frequentar a Lidador desde os 15 anos, minha cabeça avoada não apreendeu absolutamente nada de vinhos, espumantes ou champagnes. Assim sempre que preciso de dicas, entrego minhas dúvidas a alguns vendedores antigos que sempre me orientaram. No Natal por exemplo, foi um vendedor da Lidador que me salvou com suas sugestões, qdo precisei enviar uma caixa de espumantes para presentear os colaboradores do restaurante onde faço minhas refeições cotidianas.
O fato de saber que nem todo espumante é um champagne, não quer dizer que eu entenda algo de vinhos, pois passando disso sou de uma pieguice para espumantes, me falta imaginação, criatividade, "cultura", vou no óbvio, vou de Veuve Clicquot Ponsardin. Um dia fui jantar no Le Pré Catelan, e por não saber o que escolher, levei minha garrafa da "viúva" e paguei rolha. Olha que mico! Assim as dicas da Cláudia certamente serão bem vindas. Parabéns pelo blog.

Joana disse...

Sugestão de site:
http://www.bonvivant.com.br/not/index.php?Pg=LerNot&Id=316

monica disse...

joana, flor, trato meus leitores desconhecidos com o mesmo carinho destinado aos amigos de verdade, mas agora bateu a curiosidade: quem é você e como chegou neste blog? um beijo.

Lilian Rodrigues disse...

Oi Monica ou Joana, tudo na paz
Joana , eu tambem estou com a mesma curiosidade da Monica. Principalmente por que podemos marcar para degustar um "viuva", que sempre vai muito bem
beijo

Claudia Holanda disse...

Olá Joana!
Charuto vai muito bem com rum, cognac, tequila ou cachaça. Vinho do porto também é boa opção.

Para saber mais sobre charutos e bebidas, aconselho o site:
http://www.charutosebebidas.com.br/charutos.htm

monica disse...

claudiôlanda, minha amada, vamos ter que combinar um fee depois de tantos comentários num post só :))
e que bom que amanhã já é quinta e tem mais 'no gargalo'. beijão

Joana disse...

Bem, para ajudar a caixa de comentários da outra postagem (Zezé e o passaporte), vou responder às inquisições lá, okay?

Claudia Holanda disse...

ahahahahhah