24 de dezembro de 2008

O primeiro Natal sem meu pai

Ele não foi uma grande pessoa, não deixou nenhum legado à humanidade, nenhuma herança às suas filhas. Meu pai viveu no presente imediato sem acreditar que o amanhã chegaria - e dependeria, em largas proporções, das escolhas dele. Por causa do meu pai, sempre me lancei nos trabalhos com uma vontade absoluta de dar certo. E, assim, aprendi o que ele nunca me ensinou. Imenso era o medo de passar fome ou morar de favor na casa de parentes outra vez. Daí uma certa preocupação, às vezes desmedida, com o vil metal.

Esta será a primeira noite de 24 de dezembro da vida inteira sem a ranzinzice quase risível do meu pequeno pai. Sim, hoje sei que ele era apenas um garotinho que empinava papagaio e torcia pelo Fluminense sem jamais fazer questão de crescer até que (o tempo é implacável...), envelheceu.

* Foto de Frank Walsh *

8 comentários:

Claudia Holanda disse...

Moniquinha, como eu te entendo...


vale Renato Russo agora:
"são crianças como vc, o que vc vai ser quando vc crescer"

beijos e um natal muito, muito feliz. Uma vida próspera e eu tenho certeza que é e será sempre.

Val Becker disse...

É... tem certos momentos da vida que a gente valoriza mais quando não são mais possíveis! Natal em famílião, por exemplo. NUNCA gostei...

E hoje sinto falta da minha avó comendo sem parar e todos tios, primos e agregados rindo de como aquela pequena criatura podia comer mais do que todos juntos...

E do momento dos 'envelopes' do meu avô, que chamava em alto e bom som o nome de cada neto pra entregar o presente mais esperado por todos: aquela graninha que nem era tanta, mas muito bem-vinda pra dar um gás no final de ano de todos!

A família era enorme!! E como era bom, pensando bem.

Não tem jeito... na minha opinião Natal deveria se chamar 'Nostal'...

Mas mudar faz parte. E as mudanças são tantas que hoje é dia 24 e nem estou em Porto Alegre. É estranho? É, mas estou tão feliz de passar o Natal com a família na minha amada!

:))

FELIZ NATAL A TODOS!

Murilo Ribeiro disse...

Ô, moça...que texto mais bonito!
Nem tenho muito a dizer! Só que te desejo um Natal contente, cercada de gente que te quer bem - e sei que isso não falta - e que também não faltem energias boas pra te iluminar e guiar a tua caminhada.
Bjão, viu?

PAUL CONSTANTINIDES disse...

Mônica
Um abração de irmão mais velho pra ti.
Que palavras lindas e sinceras.
O melhor de tudo é que vejo amor nelas.
Isto é tão bom.
Feliz Natal menina.
Com certeza o sol de 2009
Vai brilhar dentro de ti e iluminar
o teu mundo.
Abs
Bjs
Paul

Sergio Brandão disse...

Belo texto! Bela poesia! Bela homenagem! Interpretei, nas suas palavras, um agradecimento a ele pela filha em que vc se tornou! Sei tb o significado de uma "cadeira vazia" nesta noite... Já é o vigésimo ano que passo sem meu pai; e parece que foi ontem... Mas a parte que nos consola nesta história é que podemos mudar e nos reinventar... FELIZ NATAL!!! Bjsss.

Mariana disse...

Que bonito!

monica disse...

obrigada, gente. a noite de natal foi ótima, com mãe, tias, primos e um filhote de fox paulistinha recém-chegado na família ramalho :))

Anônimo disse...

...
emocionada.
beijo,
bia