9 de outubro de 2008

'No gargalo': Verdes da Terrinha

Muita gente acha que o vinho verde tem esse nome porque é feito com uvas colhidas antes do ponto de maturação. Não caia nessa. Uva verde não gera vinho equilibrado e, portanto, ele é feito com uvas colhidas maduras. Genuinamente português, o vinho verde é uma denominação de origem e também uma marca, não apenas um estilo de vinhos como era antigamente, me ensina o professor José Paulo Schiffini (da Universidade Candido Mendes e membro do Fórum de eno-gastronomia). A Região Demarcada dos Vinhos Verdes (RDVV) se estende por todo o noroeste de Portugal, numa área de clima ameno conhecida como "Entre-Douro-e-Minho". É uma das mais antigas do país e foi originariamente demarcada em 1908.

Por conta do tipo de vinificação, os vinhos verdes são levemente frisados, guardam um pique de gás chamado também de agulha. Isso é o que dá a graça. A gente sente aquelas bolhinhas ácidas brincando no nosso palato. Podem ser brancos ou tintos, mas eu tô pra beber algum vinho verde tinto que agrade minhas papilas gustativas. Já os brancos, adoro. Mas isso também não quer dizer nada. Gosto é gosto.


Eles são leves, refrescantes, agradáveis e, em geral, baratos. O que nesses tempos de crise é vantagem à beça. Mas, minha gente, vinho verde não se resume a Casal Garcia. Experimente também o Plaínas (Casa Santa Eulália), Condes Barcelos (Adega de Barcelos), Afrós Loureiro (Casal do Paço Padreiro) e Deu la Deu (Adega de Monção). Esses também costumam freqüentar as prateleiras dos supermercados.

Os verdes devem ser bebidos geladinhos e são ótimos companheiros para dias encalorados. O tempo aqui no Rio anda meio lusco-fusco, mas e daí? Ele também é bacana para abrir o apetite ou acompanhar refeições levinhas. Além do mais, pra quem tá a fim de experimentar, qualquer motivo serve. Um brinde lusitano!

* Foto de J. Scott Bovitz *

5 comentários:

monica disse...

claudinha, quando abrir aquele sol que carioca tanto ama vamos aproveitar e abrir também uma garrafa de vinho verde? ;) minha avó materna era portuguesa e adoro a cultura da 'terrinha'. beijão! :))

Claudia Holanda disse...

uma só???
pelo menos duas...

beijos

monica disse...

'módidizer' ô garota. os leitores até desconfiam, mas não precisam ter a certeza de que somos pinguças rs rs rs

Claudia Holanda disse...

ahaahah

Lilian Rodrigues disse...

Vinho verde sempre me lembra festa de Natal. É ponto pacífico nas casas de famílias portuguesas, como a minha é, com certeza.

Beijos