21 de outubro de 2008

Flores para Luiz Carlos da Vila

Este blog se despede do compositor e cantor de sambas e afins Luiz Carlos da Vila, um garoto de 59 anos. O poeta morreu na manhã desta segunda, no mesmo Hospital do Andaraí onde Cartola e eu nos operamos. Luiz Carlos estava internado há 40 dias, lutando contra um câncer reincidente no estômago. Já havia passado pela mesa de cirurgia em 2002, antes de lançar dois discos fenomenais que rodam tanto aqui na vitrola que considero trilhas sonoras da minha vida: 'Benza, Deus' (Carioca Discos, 2004) e 'Matrizes' (MEC, com recursos da Petrobras, 2005), em parceria com o amigo Cláudio Jorge.

Foi com o seu samba-enredo "Kizomba, a festa da raça" que a Vila Isabel conquistou o primeiro título no desfile das escolas de samba cariocas. Entre os maiores sucessos estão "O show tem que continuar", "Doce refúgio" e "Além da razão". A foto que ilustra este post foi escolhida de propósito: vai uma braçada de flores do campo para Luiz Carlos da Vila!

* Foto de Camilla Maia *

5 comentários:

Luiz Coelho disse...

mtas palmas!

foi um prazer descobrir seu blog, voltarei.

monica disse...

obrigada pela visita, luiz. e volte quando lembrar que o 'laranja' existe! ;)

buliversando disse...

gente ontem eu fiz um comentario aqui, será que não postou?

No samba tem sempre uma saudade.

Beijos,
até.

monica disse...

oi, gabi: teu comentário de ontem chegou não. mas obrigada pelo de hoje. um beijo!

Filósofa de araque disse...

eu vi o Luiz Carlos da Vila neste ano no Samba Luzia, ele cantou um samba feito em homenagem a mulher dele, que era lindo e ao mesmo tempo engraçadissimo...
vai deixar saudade!