23 de fevereiro de 2008

Bodas de Gades



Inspirado no livro homônimo do poeta e dramaturgo Federico Garcia Lorca (1898-1936), 'Bodas de sangue', de 1978, chegou às telas em 1981 pelas lentes de Carlos Saura. O filme é um absurdo de lindo, com Antonio Gades (1936-2004) no papel principal, dançando muito, muito, muito. Na verdade, o coreógrafo e o diretor se entenderam tão bem que Saura apostou as fichas em outros dois balés da companhia de Gades - 'Carmem', de Georges Bizet (1838-1875), e 'Amor bruxo', de Manuel de Falla (1876-1946) - e fez uma trilogia imperdível para quem ama cinema e dança.

Tudo de Saura me encanta há tempos, mas hoje fiquei boquiaberta com a arte de Gades. Ele modernizou a dança espanhola de tal maneira que penso em Gades como uma espécie de Pixinguinha do flamenco. Busquei na web uma frase muito interessante dele. Taí:

"Para mim, o flamenco é uma religião. Consegui catalisar, pesquisar e estudar várias tendências do flamenco que existiam na época, mas acho que o mais importante foi o resgate de várias danças do folclore espanhol. Meu maior mérito foi dar unidade a todo esse tesouro vindo de várias regiões. Tudo o que fiz veio de muito estudo, muita pesquisa e muito sofrimento criativo".

Olé!

(Crayon: Antonio Gades por Miguel Alcalas)

2 comentários:

Cecília Borges disse...

Mônica,
depois de ler o post até coloquei no som "Porque te vas" (José Luis Perales), música daquela cena maravilhosa do Cría Cuervos.
Saura também me encanta muito.
Bj grande!

Miguel Alcala disse...

Hola Monica,

No tengo mas remedio que escribirte en español porque no hablo portugues. Pero creo que nos podemos entender a pesar de todo.
Me da alegria ver mi dibujo en tu blog, al otro lado del planeta y te mando un fuerte beso.

Miguel