23 de setembro de 2008

Trio 3-D celebra 45 anos de samba-jazz

Em dezembro de 1963, e, portanto, aos 16 anos, Antonio Adolfo formou o Trio 3-D para fazer a base do musical 'Pobre menina rica', de Vinicius de Moraes e Carlos Lyra, em temporada no Teatro de Bolso. “O convite partiu de Carlinhos Lyra, que também deu o nome ao conjunto”, situa Adolfo. O Trio lançou discos memoráveis, tão bons que alguns permanecem em catálogo. E para comemorar os 45 anos do seu surgimento, Antonio Adolfo veio ao Brasil para tocar no Mistura Fina nos dias 26 e 27, últimas sexta e sábado de setembro, às 21h30.

“A idéia é fazer uma retrospectiva da minha carreira, que ganhou força ali entre 1963 e 1964 com o Trio 3-D. E percebi que, no meio dessa celebração toda pelos 50 anos da bossa nova, a imprensa brasileira ainda não festejou os trios, que eram muito fortes na época”, conta. Nesta curtíssima temporada carioca, Antonio Adolfo (piano) vai subir ao palco acompanhado por Sergio Barrozo (baixo acústico) e Chico Batera (bateria), uma das formações originais do conjunto. “Com Adolfo e Sergio eu fecho os olhos e vou para qualquer lugar”, brinca Batera, referindo-se aos amigos de longa data.

Quando começaram a tocar juntos, Chico Batera e Sergio Barrozo, que regulam em idade, tinham só 20 anos, mas já eram o que Batera chama de 'músicos faixa-preta'. Tocavam como veteranos! “E tenho certeza de que a gente vai ter um prazer ainda maior de se apresentar junto porque a gente está tocando melhor do que antes”, avalia o baterista. “Espero que a gente encontre uma sinergia boa para reviver o 3-D, que nos fez tão felizes naqueles anos efervescentes”, acalenta Barrozo.

Nos shows, o público vai ouvir muito samba-jazz: “Céu e mar” (Johnny Alf), “Garota de Ipanema” (Tom Jobim e Vinicius de Moraes), “Consolação” (Baden Powell e Vinicius de Moraes), entre composições de Ernesto Nazareth, Chiquinha Gonzaga e Kximbinho. “Quero fazer um apanhado de músicas que marcaram outras fases da minha carreira”, avisa o pianista, atualmente radicado nos Estados Unidos. É o caso de “Sá Marina” e “Juliana” (ambas em parceria com Tibério Gaspar) mais “Chicote”, “Partido leve” e “Cascavel”, todas de Adolfo.

Quando a bossa nova bebericou o uísque do jazz
Foi através dos legendários trios instrumentais que a bossa nova bebericou no uísque do jazz e desenhou o traço fundamental do samba-jazz. Essa fusão do samba do morro com o jazz americano nasceu no Beco das Garrafas, em Copacabana, que reunia dois ou três inferninhos e onde “todo mundo tocava com todo mundo”, nas palavras de Chico Batera. Tamba Trio, Zimbo Trio, Bossa Três, Jongo Trio e Sambalanço Trio foram apenas alguns, formados no mesmo período do 3-D, este liderado por um garoto tímido e precoce, super talentoso, que 'destruía' no comando de seu piano: Antonio Adolfo.

Em 1964, o grupo estreou em long play com 'Tema 3-D', que trazia o argentino Cacho Pomar no contrabaixo, Nelson Serra e Dom Um Romão se revezando na bateria, Arisio no violão e Claudio Roditi, aos 17 anos, no trompete. Foi a primeira vez do músico, hoje apontado como um dos melhores trompetistas do mundo, em estúdio. Em abril de 1965, o conjunto fez um de seus álbuns mais importantes: 'Trio 3-D convida', com participações estelares de Raul de Souza, Eumir Deodato, João Theodoro 'JT' Meireles, Paulo Moura e Edson Maciel.

Se você digitar neste instante o nome do Trio 3-D no Google vai encontrar algumas referências aqui, o nome de um disco acolá e, ainda, a reprodução da capa do álbum 'A 3ª dimensão de Lennie Dalle com Trio 3-D', que saiu em 1966 num daqueles projetos gráficos espetaculares que Cesar G. Villela desenvolveu para o selo Elenco. Mas para ouvir Antonio Adolfo e Trio 3-D ao vivo, a oportunidade é esta: dias 26 e 27 de setembro, às 21h30, no Mistura Fina. Isso é história!


* Texto e fotos de Monica Ramalho *

7 comentários:

Claudia Holanda disse...

Que materão, moniquete.
antonio adolfo é o cara.

Cecília Borges disse...

Não estarei aí nas datas.
Deu uma vontade...
som de primeira e aquela vista deslumbrante do Mistura Fina!
Ai!

PAUL CONSTANTINIDES disse...

Tem toda a razao Monica.
A sorte que tenho eh conviver de vez em quando aqui com o AA e pegar uma palhinha dele aqui ou ali...mas meu, o Trio 3D, eh realmente Historia o show...que tenha longa vida, e venha dar as caras aqui no Sul da Florida....anyways um pedido...q se produza um DVD do show, ia ser 10!!! como se dizia, ou ainda se diz na minha Sampa saudosa e querida..

ta valendo Monica!!
bjs
Paul

Sheila Thomson disse...

Poxa, que pena! Estou indo para Miami hoje e vou perder esta joia...Preciso escrever pra ele agorinha! Ate a volta, Moniquinha! Que bom que voce fez esta materia!

Alexandra disse...

Valeu a matéria! se der tô lá. Bjão. Alê.

monica disse...

claudinha e alexandra: vamos!

cee e sheila: aahhh! eu tenho dois discos do 3-D. se quiserem cópias... tamos aí!

paul: vamos azucrinar o antonio pra levar o 3-D pra miami. aliás, esse comentário também vale pra sheilíssima ;)

beijos, amados!

PAUL CONSTANTINIDES disse...

ah eu quero uma copia!

monica, com certeza, hoje meu blog vai bater na mesma tecla q a sua...

abs
bjs
paul